Freita, 3 de Junho de 2011

Não é todos os dias que se marca um ponto de encontro às 4h30!!! Mas o verdadeiro espirito da montanha não usa relogio. E quanto mais cedo começa o dia, mais temos para gozar.

A subida até ao marco geodesico de onde iriamos assitir ao sempre bonito nascer do sol foi, imprevisivelmente, a corta mato. Mais uns minutinhos e não chegavamos a tempo. Mas chegamos!!!

Já com o sol a fazer-nos companhia iniciamos o PR7, nas Escarpas da Mizarela.

O trilho é muito bonito, percorrendo diversas escarpas, algumas com proteções ou cabos para segurança. Quase uma via ferrata.

A presença da água foi constante, e pisamos duas pontes pedestres para chegar à aldeia de Ribeira, bem no fundo do vale.

Depois de "quase sempre a descer", passamos para um "quase sempre a subir". As vistas da famosa Frecha da Misarela eram cada vez mais soberbas!

Fizemos questão em descer até à base da queda de água, que com 75 metros, é uma das mais altas da Europa (excluindo a Escandinávia).

Sem dúvida que um trilho a repetir.