Gerês, 15 de Maio de 2011

A subida até às famosas Minas dos Carris seria feita ao longo da fronteira.

Como qualquer caminhada no Gerês que se prese, tem que começar com umas subidas! Não é que cá em baixo não seja bonito, mas lá em cima é espectacular.

Dada a grande quantidade de marcos que existia, a orientação estava facilitada.

O dia acordou solarengo, mas o constante vento não nos deixou aquecer muito. Por vezes incomodava um pouco, das outras vezes refrescava, e até sabia bem.

Chegamos ao "entroncamento" de onde fariamos a subida até às Minas dos Carris e regresso, para a partir daí retomar o trilho até às Minas das Sombras de nuestros hermanos.

Foi uma excelente oportunidade para ficar-mos a conhecer os Carris, ou rever os Carris.

Deixando as vistas amplas, percorremos um estreito e muito engraçado trilho até às Sombras, onde chegamos sem dificuldades.

A partir daí, o percurso seguia por um estradão em terra batida, que parecia nunca mais acabar. As hesitações e algum cansaço acumulado levaram à alteração do trilho inicial, seguindo diretos até à fronteira, onde estavam as viaturas

Para muito, o record do numero de quilometros foi batido: 29kms!