Montalegre, 22 de Janeiro de 2011

A nossa primeira ida à serra do Larouco, como Domingueiros.

Saímos do carro e já o sol ía alto. No entanto, a temperatura continuava nos 1º!! Estava mesmo frio. Não dava para esquecer que estavamos em janeiro. E o muito vento, o local bastante descoberto fez baixar ainda mais a temperatura sentida.

Todos os locais com água estavam gelados, desde pequenos ribeiro, a terra humida, fazendo lembrar os episodios da National Geographic sobre o "permafrost", mas a outro nível.

A vontade de fazer caminho estava bem expressa nas caras que pareciam dizer: vamos lá para ver se aquecemos. E nisso a montanha ajuda sempre! Com subidas, a ultima das quais, bem ingreme. À medida que ia-mos subindo viamos um pico do outro lado e começou-se a ouvir no seio do grupo: depois, quero ir lá cima.

Chegados ao marco geodésico, o vento soprava ainda com mais intensidade. Fotos rapidas, uma vista de olhos à pista utilizada pelas famosas provas de parapente e tentamos arranjar um local minimamente agradável onde almoçar.

Com os serviços mínimos cumpridos, o grupo dividiu-se. Enquanto uns foram conquistar o pico de há pouco, os outros iniciaram a descida. Aqui houve confusão pois uns tentaram fazer a descida por um local, outros foram pelo local marcado no trilho, mas com um pouco de aventura lá nos encontramos todos nas costas do Larouco, para retomar a caminhada em grupo.

Agora, mantendo a cota, atravessamos a serra para o outro lado, passando por um futuro carvalhal, muito bonito, mas a obrigar adivinhar o percurso.

Chegados ao final do trilho, fomos simpaticamente convidados a entrar em casa de um dos novos domingueiros com casa por lá, onde fomos recebimos com chá e café bem quentes e bem retemperadores. O nosso obrigado à familia Brás.