Povoa do Lanhoso, 17 Janeiro 2010

O dia amanheceu cedo para os Domingueiros que fizeram jus ao nome e á hora marcada lá estavam eles prontos a mais uma aventura, desta feita a primeira do ano...

A previsão do tempo não era a melhor, no entanto lá chegamos á aldeia de Carreira, e depois de um breve abastecimento de energias, lá partimos para o percurso de Ribeiro Queimado…mal se iniciou, a chuva logo se fez sentir timidamente durante alguns minutos, mas nada que intimidasse um grupo assim.

Serpenteando toda a zona rural, ora atravessando ribeiros ora pelos campos de cultivo e eucaliptal, a água parecia brotar de todas as direcções, conferindo ainda mais beleza á paisagem circundante… as laranjeiras nos pomares da região eram bastantes, havendo alguém que sugeriu um novo nome ao percurso:” trilho das laranjas”…ao que parece eram mesmo boas…

O ruído que se perpetuava era o de água a correr ferozmente encostas abaixo e algumas armas de caça que disparavam sem direcção muito certeira…afinal parece que existem por aquelas bandas caçadores amigos das presas a abater… só disparam para desenferrujar a arma de serviço…

Calcorreando mais um pouco lá nos detivemos em mais uma rua da aldeia, quando uma abordagem de um habitante fez parar alguns elementos do grupo: “ Vocês querem laranjas?”, “Sim queremos, podemos lá ir apanhar?”, Eh pá não, assim f…em o quintal todo á minha mãe!”… o resultado foi em meia dúzia de citrinos divididos generosamente entre o grupo.

O estômago já rugia e eram horas de procurar poiso para almoçar, e visto a proximidade do fim do percurso, lá chegamos ao restaurante “Casarão”, que nos serviu umas refeições frias mas muito apreciadas por todos.

Ora com um almoço farto, nada melhor que iniciar um novo percurso, desta feita o de Merouço. E lá fomos encosta acima, pedra sobre pedra com a água a correr entre os pés, até que atingimos o cume, local elegido para a foto de grupo… a descida foi ao estilo de CSI… restos de um animal encontrado morto pelo caminho deu azo a mais dois dedos de conversa, rapidamente fazendo-nos chegar de novo á aldeia para assim terminar o dia que meteorologicamente até se revelou muito bom…

O regresso a casa foi feito a pensar nas próximas caminhadas…afinal há sempre mais!