Castelo de Paiva, 13 Abril de 2008

Apesar da muita chuva durante a semana, estávamos com esperança de grandes melhorias para o Domingo. Ficamo-nos apenas pelas melhorias.

Depois de passarmos pelos múltiplos pontos de encontro e por uma pastelaria para abastecimento, chegamos ao local marcado para iniciar a caminhada, numa aldeia de Castelo de Paiva.

Iniciamos o trilho por uma estrada asfaltada que passava por uma fábrica de carvão. Alguns dos fornos estavam na altura em plena "produção". Aviso que a empresa tenha à porta: "Atenção, não damos patrocínios. Pedimos desculpa pelo incómodo." eheheheheheh

A hora já era avançada e já se ouvia umas vozes a reclamar: "-Fernando, quando é que paramos para almoçar?". "-Quando chegarmos ao rio." Que rio? O caminho começava a descer, mas ainda não se via rio nenhum.

Acreditando no guia de serviço, fomos descendo, descendo, descendo, com muita conversa pelo meio, contemplação da paisagem verdejante, intromissão no banho matinal de um passarinho, chegamos a uma aldeia onde passamos das botas para as rodas, pois houve quem fosse testar um carrinho de "rolamentos" que por lá encontramos.

Chegamos finalmente ao Paiva, onde nesta altura há descidas de Rafting naquela zona, que tem bastantes rápidos. Ficou a ideia de mais uma actividade extra :D

Almoçamos junto a um moinho à espera de recuperação. Havia quem quisesse passar uma ponte (em muito mau estado), mas acabamos por ficar todos do lado de cá da margem.

Continuamos a descer até à margem do rio. Antes de lá chegar, metemo-nos num atalho que obrigou a uma subida bem íngreme, para quem não quis ir dar a volta.

Chegamos a um local onde a água está particularmente calma. Deu para ver os craques dos ressaltos das pedrinhas a exibirem os seus dotes! 1, 2, 3, 4, 5, 6 7 8 9 ... quase chegava ao outro lado!

Na aldeia seguinte houve quem fosse "desencaminhado" para provar um copinho de vinho, pois a subida que nos aguardava não era fácil. E subimos, subimos, subimos, até chegar à aldeia inicial.

Estávamos prontos para dar por terminada a caminhada, quando a mãe do guia de serviço nos ofereceu um lanche com muito salpicão, presunto e acessórios, regados com uma óptima pomada (mais conhecida por tintol). Houve quem simplesmente não conseguisse parar! Ficam mais uma vez os agradecimentos. Para a próxima estamos lá outra vez!! :DDDD