Bragança, 2 a 5 de Fevereiro de 2008

Castro de Avelãs

Aproveitamos o fim de semana prolongado do Carnaval, para explorar Montesinho e arredores.

No Sábado começamos pelo trilho Castro de Avelãs. O trilho começa num mosteiro bonito, isto se estivermos a olhar para o monumento certo!

Parte do percurso pertencia também a um caminho de Santiago. Houve quem quisesse parar só em Santiago de Compostela, mas achamos que para esse dia já tinhamos a nossa conta.

Muita conversa, sobre o local onde estavamos e de cultura geral, e anedotas sobre olhos negros, enquanto se confirmava o percurso no GPS pois não tinha uma unica marca. Estamos mesmo a ficar "pro's"!!!

O almoço foi bem servido, e deu para provar uma excelente invenção: bola de carne sem carne mas apenas com queijo! Até a cadelita que nos acompanhou todo o trilho gostou. Houve quem dissesse que era ela que nos estava a guia na realidade, uma vez que era da zona. Como ela espicassava sempre todos os cães que encontrasse ainda a tivemos que salvar umas vezes.

E o trilho lá continuou por entre arvores carregadissimas de liquens (dizem que prova a pureza do ar) e, já na aldeia, fomos recebidos "à transmontana".

Depois de dois dedos de conversa, já estavamos a beber jerupiga e vinho da região!

O pôr do sol pintou o céu de vermelho vivo, a prometer bom tempo para o dia seguinte.

Tentamos ir a Bragança ver um desfile de caretos, mas não fomos a tempo. E mais uma vez fomos convidados a participar na parte melhor do desfile: o comes e bebes! E não recusamos,como é obvio.


Rio de Onor

O Domingo até que não acordou muito mal disposto, apesar do alerta Laranja para a região. Partimos então até Rio de Onor, vila que faz fronteira com Espanha, que o instituto de metereologia às vezes exagera um bom bocado.

Mochila às costas, impermeavel vestido e guarda-chuva em riste e aqui vamos nós. Com a chuva que já caía ainda deu para ouvir um "Grandes malucos!!". Sim, desta vez íamos decididos a não desistir por causa do tempo.

Por vezes a chuva parava como quem quer dar esperança, mas rapidamente mostrava as suas intenções: água e mais água e cada vez mais água. Mas continuamos....

Passamos um toupeiral e ... ei, era suposta haver aqui uma ponte romana!! Será que estamos no sitio certo?

Ainda procuramos um pouco mais mas... ponte nem vê-la. E o rio estava com demasiada água para se atravessar :(

E resolvemos encortar o trilho e regressar aos carros, que assim também não tinha grande piada. Já tinhamos provado que não desistiamos às primeiras gotas de chuva!! :D


Na rota dos Cervideos-Guadramil

Enquanto uns domingueiros regressaram a casa, pois a segunda-feira já se aproximava, vieram outros, ou melhor, outras! Depois da jantarada no local do "costume", e um Uno divertido para fazer a digestão, fomos descançar.

Fomos então para Guadramil, onde iriamos procurar afincadamente pelos Cervideos que o nome da rota nos promete. Pelo caminho dava para ver que no dia anterior caiu um grande nevão numa montanha mesmo à nossa frente, em Sanabria e provavelmente Montesinho (vila). E quanto mais nos aproximavamos, mais ela nos desafiava a dar lá um salto.

Chegados ao ponto inicial do trilho, alguns habitantes da aldeia fizeram questão em nos receber! Depois de alguns conselhos vindos da sabedoria adquirida ao longo de bastantes anos, de mostrar um moinho, eles lá nós "deixaram" ir para o monte.

Ao contrario dos outros trilhos, este estava bem marcado. Sempre de olhos bem arregalados a tudo o que se mexesse, não fossem aparecer veados e nós não os vermos.

Depois de muitas tentativas, o maximo que vimos foi mesmo umas pegadas, que partimos do principio serem de veado. Já deu alguma satisfação.

Passamos umas arvores que parecem que explodiram (provavelmente um incendio) e regressamos novamente à aldeia, onde nos voltamos a encontrar com uma senhora muito conversadora e simpatica. "Antigamente esta aldeia tinha muita gente, diziasse que guardava mil, agora guarda pouca gente!".

E saímos de Guadramil para dar um salto a Rio de Onor, por uma estrada nova. Depois do cafezinho, não resistimos à placa que dizia Sanabria 14Kms e aí fomos nós. Estavamos todos a desejar ir até à neve!

Bastante mais que os 14Kms chegamos à Lagoa dos Peixes, para as brincadeiras do costume com neve. No regresso ainda deu para ver dois veados muito jovens, mas apenas de fugida.


Trilho dos Caretos

Este trilho foi mais um passeio, pricipalmente porque a chuva tinha regressado.

Visitamos a aldeia de Podence, e seguimos um grupo de animação na rua, tocando tambores e flauta. Ainda deu para visitar o museo dos candidatos a patrimonio da humanidade, os Caretos, antes de terminar este nosso fim de semana.