Paredes de Coura, 14 de Janeiro de 2007

Antes de relatar mais uma das actividades deste grupo não organizado... mas verdadeiramente interessado, é justa uma referência para as pesquisas e estudos científicos efectuados com vista à preparação desta actividade, os quais deixavam já antever o sucesso da nossa investida por terras de Paredes de Coura.

O início de mais um ano de sangue, suor e lágrimas com "Montanhas de Preguiça" chegou finalmente e os Domingueiros apresentaram-se motivados e ansiosos na estação de serviço de Viana do Castelo. As condições meteorológicas estavam a favor e os Domingueiros chegaram cedo, tirando os que se atrasaram.....e lá partiram, levando consigo as armas necessárias aos verdadeiros Combatentes de Travanca, ou seja: mapa, GPS, calçado de "combate" e uniforme a condizer (pela amostra, o patrocínio da Quechua já se justificava!). Ah! e a faca do mato (poderia ser necessária uma intervenção mais arrojada!).

A caminhada começou com a obrigatória foto de grupo (não vá alguém desviar-se e depois não consta no registo!). O trilho estava bem marcado, mas decorridos os primeiros 300 metros, decidimos fazer o "nosso" próprio trilho, para acrescentar um toque pessoal. Depois de alguns momentos de desorientação, lá estava Penim (não, não foi o da Sic!) e assim recuperamos o trilho.

Paramos depois para almoçar na "Floresta Encantada" e, depois de um bom piquenique (sem toalha), prosseguimos para a ascensão ao Marco Geodésico de Travanca, onde pudemos desfrutar de uma sensação.... como direi..... de "Elevação"???

A etapa seguinte foi bastante interessante, com verdadeiras lições de botânica, vida animal, corridas de cavalos (não se detectaram apostas!) e tudo isto devidamente acompanhado por repórteres que deram uma fiel cobertura às actividades.

De regresso ao ponto de partida, imediatamente se fez o balanço da opção pelo trilho alternativo, o qual teve nota bastante positiva, tendo mesmo chegado a ponderar-se patentear o novo trilho traçado pelos Domingueiros (mas depois de alguns cálculos, verificou-se apenas que tínhamos feito o trilho no sentido contrário!).

Finalmente, e após alguns exercícios de alongamento (há que tratar bem os músculos!), a primeira caminhada de 2007 terminou em pleno Festival de Paredes de Coura, mas sem música, com um luxuoso cafezinho (para não adormecermos no regresso à civilização), ficando a promessa de novo encontro e mais aventura no próximo mês.

Até lá!