Geres, 12 Fevereiro 2006

A caminhada iniciou-se pelas 10 e qualquer coisa da manhã do dia 12 de Fevereiro. O inicio foi, como de costume, um tributo à barata … primeiro para a esquerda, depois para a direita e novamente para a esquerda, mais tarde uma inversão de marcha ao que se seguiu uma breve paragem para orientação.
Depois lá resolvemos seguir as marcas do trilho.
Paramos, depois do meio dia para almoçar, na base do penedo da Calcedónia. O almoço serviu para elevar o nosso nível de conhecimento, onde ficamos a saber que a madeira nasce nas arvores. Pudemos também assistir a um raro acontecimento : o João a orientar o GPS!
Depois do almoço, lá nos lançamos na conquista do ponto mais alto da zona, o qual não nos desiludiu, era mesmo alto.
O grupo dividiu-se durante breves instantes por causa da insistência de um certo e determinado individuo em encontrar a fenda. Parecia que nada o sossegava : “A fenda, a fenda, a fenda”. Lá se encontrou o buraco, lá lá lá e pronto.
Iniciamos depois uma vertiginosa descida a corta mato, onde todos fomos brindados pelas habituais medalhas : picadelas e arranhões.
O termino do passeio aconteceu no ponto de partida, não sem antes ter sido feita uma visita ao café local para a fotografia de grupo.