Resende, 4 de Junho de 2005

07:15 am e nós já na estrada.
Apanhamos boleia da Sandra e fomos até Águas Santas atrás do “Gang da Catarina, mais conhecida por Banda Bale”. Mas tarde, juntou-se a nós a “Trupe do Jorge”.
Passamos pelo Marco de Canaveses, atravessando a longa vaga de calor que nos assola actualmente e dirigimo-nos para Resende. Ovadas de Cima era o destino.... embora tenhamos apenas encontrado Ovadas de Baixo. Felizmente estavamos em Ovadas, podia ter sido bem pior o desvio.... e estavamos sem o João!!!!! (Para quem lido com atenção o nosso site, não será dificil compreender este comentário!) Ora... o importante (até pelo enjoo que a viagem provoca – curvas, curvas e mais curvas) é que tinhamos chegado!
Era hora de aprontar as mochilas, dar um ligeiro aquecimento às pernas e colocar-nos ao caminho. Mas por onde?!?
É que estavamos exactamente no fim do nosso percurso, isto é, onde teriamos que acabar a nossa jornada pedonal... e ainda por cima desviados de onde ele terminaria. Pois bem, salvou-nos o Rui “Corajoso”Pedro (mais conhecido por “Moi même”, eheheheh!!!!!) que despreocupada e pragmaticamente se aventurou em território estranho e “hostil” (ok!... estou a exagerar!) para perguntar a alguém onde estavamos. Após breve conversa, lá conseguiu e definimos o rumo a seguir. Foi um percurso custoso, feito muitas vezes ao som de “kiri kiri, yop yop, éép’s” (para dar bastante força ou... chamar as ovelhas!?!?, não se entendia bem para qual dos dois era!!!), com muitas subidas e uma “tosta” de sol. Seguimos algumas das marcas que encontramos, mas basicamente foi o instinto que nos transportou. Passamos por aldeias dispersas na paisagem (entre elas a da “Panchorrinha”), onde os habitantes foram de uma simpatia sem igual, pois certamente que se não nos auxiliassem na altura, ainda hoje não teriamos regressado.
Foram umas boas 4 horas de passeio, para uns bons kms, não posso precisar mas talvez uns 9.
O regresso a casa ficou marcado pelos cerca de 30 Kg de cerejas (e é verdade!!!?!?) que compramos e pelo feliz regresso aos nosso colchões. Valeu bem a pena! Não se esqueçam de ver as fotos do “people”... Abraços.