Pode ser realizado em qualquer altura do ano. Com muita chuva, muito cuidado com a descida inicial!!!!

O trilho começa na Aldeia da Pena, perto de S. Macário, S.P.Sul.

Atravessando a aldeia, seguimos pela direita no início dos campos, seguindo as indicações do “caminho do morto que matou o vivo”. Atravessando os campos e depois de uma pequena subida, temos uma descida muito acentuada, sempre junto ao rio.

Continuamos em direcção a Covas do Rio. À entrada da aldeia temos que virar à esquerda e novamente à esquerda. Pode-se visitar a aldeia, tendo o cuidado de retomar o caminho neste local.

Descemos novamente até chegar ao rio e continuamos até chegar a um entroncamento estranhamente com sinais de transito. Seguimos as indicações dos sinais, indo pelo sentido obrigatório. Subimos pelo estradão em terra, entrando num novo estradão também em terra, fechado numa das direcções com um portão.

Continuamos por este caminho até avistarmos a aldeia Covas do Monte. Aí, existe um estreito trilho que desce directo para a aldeia, evitando a estrada. Entramos na aldeia pelo cemitério.

Chegando à estrada principal cortamos à direita, para subir em zig-zag. Mais uma vez, aconselha-se a visita à aldeia, tendo o cuidado de retomar o trilho neste local. A subida deverá ser feita sempre por asfalto, até chegarmos a uma parte da estrada mais alta e aberta. Deveremos então ter atenção em encontrar um trilho à esquerda (virar pouco antes do poste de alta tensão na berma da estrada).

Seguimos o trilho até cruzarmos uma linha de alta-tensão. Aí teremos que descer com determinada inclinação de modo a irmos ter ao caminho que continua junto ao muro.

Continuando pelo trilho, passando para o outro lado da montanha, atravessando um pequeno rio, e subimos até se ver algumas casas da Aldeia da Pena. Encontramos novamente o trilho indo um pouco pela esquerda e rapidamente chegamos à aldeia.